A generosidade de dois doadores de órgãos  

Na pista de dança com o namorado, Leda Scanholato se solta, não economiza energia. Um ritmo oposto ao da vida que levava três anos atrás.

"A minha vida era cama-sofá, sofá-cama. Vivia de pijama, oxigênio direto e tomava banho sentada, minha mãe e meu pai me ajudavam a me enxugar, porque vinha falta de ar e vinha tosse. Aí ficava roxa, com as unhas roxas, bochecha, boca e já ia direto pro oxigênio".

Desde bebê, Leda sofria com a falta de ar. Só aos 22 anos, quando já estava muito mal, descobriu que tinha fibrose cística. A família, que tem um salão de beleza, se apavorou.

“Era grave, corria risco de vida, dificilmente ia chegar na velhice. No máximo, 40 anos”, conta a mãe de Leda, Terezinha Scanholato.

Leda estava com apenas 15% da capacidade pulmonar. Para sobreviver, precisava de pulmões novos. "Eu cheguei a 35 quilos. Então era muito complicado. Você acaba pensando assim: se não aparecer logo um doador, eu não vou agüentar".

Foram sete meses na cama esperando, até que o telefone tocou. Havia um doador. "Meu pai travou, meu pai não conseguia fazer nada. Minha mãe foi avisando todo mundo. Eu sentei na cama e tossia, tossia, tossia porque comecei a ficar nervosa. Comecei a ficar com medo. Aí minha mãe falou tosse, porque vai ser a última vez que você vai tossir. E foi a última vez".

O transplante foi um sucesso. Leda recebeu os pulmões de um rapaz de 29 anos que morreu num acidente. "Eu sinto que ele foi um anjo. Primeiro, por ter vivido tão pouco. Então, a missão dele na terra era realmente salvar vidas”.

Leda que dependeu de oxigênio, respiradores, máquinas não esquece o momento mais marcante depois da cirurgia. "A sensação mais gostosa foi quando eu andei pela primeira vez na UTI. Andei pelas minhas próprias pernas, sem oxigênio, sem ninguém ficar me segurando. Parecia que eu tava andando nas nuvens. A minha vontade era de sair correndo, mas eu tava com quatro drenos do lado, eu não podia”.

Hoje, Leda pode quase tudo. Com a vida transformada, ela criou uma comunidade na internet para dar apoio àqueles que estão na fila do transplante. Planeja casar e, depois que aproveitar bem momentos assim, adotar uma criança.

CLIQUE AQUI PARA ASSITIR O VÍDEO

 

Fonte: http://video.globo.com/





 
© 2007 Transplante Pulmonar Online Inc. All rights reserved. layout by Rodrigo Tebaldi